voce-sabe-como-descartar-corretamente-sua-mascara-blog-nutrify

Você sabe como descartar corretamente sua máscara?

Conheça as características dos principais tipos de máscara e veja como reduzir o impacto ambiental de seu descarte.

A pandemia global da Covid-19 já dura mais de um ano, e o uso de máscaras está entre as principais medidas sanitárias recomendadas para controlar a disseminação da doença. Apesar de já existirem vacinas contra o coronavírus, muitos países apresentam lentidão na imunização em massa. Por isso, máscaras ainda são fundamentais para evitar que a Covid-19 siga se espalhando.

Usá-las é um gesto de consciência e solidariedade. Afinal, além de proteger a pessoa saudável da contaminação, a máscara evita que alguém carregando o vírus sem saber (pessoa assintomática) contamine quem está ao redor. Trata-se de uma estratégia de segurança coletiva, que faz com que as pessoas se protejam mutuamente

Essencial do ponto de vista da saúde pública, o uso generalizado de máscaras – antes restritas a profissionais de determinadas áreas – acendeu um alerta ambiental importante: o descarte incorreto desses equipamentos tem provocado uma nova forma de poluição de ecossistemas.

Então, vale a gente falar um pouco sobre os principais modelos de máscara, suas características e de que forma podemos descartá-las com menor impacto para o meio ambiente.

Tipos de máscara e seus diferentes graus de eficácia

O objetivo da máscara é evitar que gotículas de saliva contaminada sejam lançadas no ar e possam atingir outras pessoas, chegando ao rosto, lábios, nariz e olhos (estudos apontam que as gotículas podem alcançar até 2 m em uma conversa normal). Ela deve proteger nariz e boca e permitir o movimento natural dos lábios quando a pessoa conversa, porém deve ficar bem ajustada ao rosto, sem aberturas laterais. O ideal é que seja trocada a cada 3-4 horas ou sempre que estiver úmida.

As máscaras mais utilizadas para a proteção contra a Covid-19 são:

  • N95 e PFF (peça facial filtrante) 2 – As siglas indicam o nível de eficiência do filtro respiratório na retenção de gotículas ou aerossóis contaminados. Ambas oferecem o mesmo grau de proteção, quase 100%. São ideais para uso em ambientes fechados, para quem está com sintomas ou pode ter contato com quem está.
  • Cirúrgicas – Filtram até 89% das partículas sem prejudicar a respiração e possuem o chamado clipe nasal, espécie de arame interno que permite o ajuste na região do nariz. Por não ficarem tão ajustadas nas laterais, são mais indicadas para ambientes abertos (onde o risco de contaminação é menor).
  • TNT (tecido não tecido) – Facilmente encontradas no mercado a um custo baixo, têm índice de filtragem entre 78% e 87%, desde que sejam de boa qualidade. As melhores são de TNT de 3 camadas (SMS).
  • Máscaras de tecido ­– Acabam sendo as mais utilizadas por conta de seu baixo custo e longa vida útil. No entanto, sua eficácia varia muito dependendo do tecido, modelo e forma de confecção. As melhores podem chegar a 70%, já as de baixa qualidade não passam de 15%.

Todas as máscaras, mesmo as de menor poder de filtragem, são importantes para o controle do vírus! Caso seja inviável adquirir uma PFF2/N95, é possível usar uma máscara cirúrgica e outra de pano por cima (por períodos entre 2 e 4 horas), por exemplo, para reforçar a proteção.

Descarte de máscaras e meio ambiente

Estudo recente aponta que 3,4 bilhões de máscaras ou protetores faciais do tipo face shield são descartados diariamente no mundo. Somente no estado de São Paulo, até maio deste ano, foram produzidas 1,5 milhão de máscaras de TNT apenas por pessoas encarceradas. Considerando que tecidos sintéticos, como TNT, lycra e microfibra, levam de 400 a 450 anos para se decompor na natureza, dá para ter uma ideia da dimensão do problema.

O descarte incorreto de máscaras já representa grande ameaça à vida marinha e aos habitats de animais silvestres. Recentemente, correu o mundo a imagem de uma gaivota com as patas enroscadas nos elásticos de uma máscara, triste ilustração dessa realidade.

Quando viram lixo, as máscaras são risco também para a saúde humana

No Brasil, usinas de reciclagem de lixo precisaram desenvolver estratégias específicas para evitar que os catadores se contaminem com máscaras descartadas incorretamente no lixo reciclável. Algumas cooperativas estão deixando o lixo em “quarentena” antes de ser separado.

Dicas para descartar máscaras de forma correta:

  • Reduza o descarte reutilizando de forma segura máscaras N95 e PFF2. Ambos os modelos podem ser usados mais de uma vez, basta deixá-los pendurados em local ventilado de 3 a 7 dias para inativar eventuais vírus presentes. Não lave nem utilize nenhum produto de limpeza, isso danifica a máscara.
  • Nunca descarte máscaras junto com materiais destinados à reciclagem.
  • Procure não jogar máscaras avulsas em lixeiras públicas. Isso evita que catadores ou pessoas em situação de rua tenham contato com material contaminado.
  • Descarte as máscaras no lixo doméstico dentro de um saco plástico bem fechado. Reduza o uso de plástico juntando máscaras usadas em um único saco para descartar várias de uma vez. Lembre-se de mantê-lo em local seguro, longe de manipulação e contato com outros objetos.
  • O lixo do banheiro é o mais indicado pela facilidade de higienização das mãos antes e após a retirada da máscara, diminuindo o risco de autocontaminação.
  • Corte os elásticos das máscaras antes de jogá-las fora. Isso impede que sejam reutilizadas ou que animais possam se enroscar nelas, caso o lixo não tenha uma destinação final adequada (parando em um lixão, por exemplo).
  • Se a máscara tiver sido utilizada por uma pessoa contaminada, o cuidado deve ser redobrado! Ela deve ser descartada em um saco plástico separado e identificado com os dizeres RISCO DE CONTAMINAÇÃO.

Cuidados individuais e coletivos são ainda muito necessários na retomada gradual das atividades cotidianas. Adotando e compartilhando essas atitudes simples e responsáveis, desempenhamos um papel vital no combate à pandemia e também na preservação da natureza.

Referências:

https://www.bbc.com/portuguese/geral-57152019

https://www.uol.com.br/ecoa/ultimas-noticias/2020/07/15/descarte-de-milhoes-de-mascaras-na-pandemia-pode-virar-problema-ambiental.htm

https://conexaoplaneta.com.br/blog/ao-jogar-mascaras-no-lixo-nao-esqueca-corte-o-elastico-antes/

https://www.qualmascara.com/faq

http://abes-dn.org.br/?p=33397

Rolar para cima