Introdução

As dietas que excluem carnes são consideradas benéficas por serem compostas por vegetais que auxiliam na ingestão de vitaminas, minerais e fibras. Essa mudança de hábito e alimentação deve ser acompanhada por um profissional para melhor orientar sobre as escolhas e substituições. Muitos adeptos acabam consumindo uma alimentação rica em carboidratos refinados e introduzem frituras para dar sabor aos alimentos e, é neste momento, que encontram dificuldades para realização de um planejamento saudável. A mudança na dieta quando não é bem planejada pode contribuir para deficiências.

Por que parar de comer carne?

As pessoas têm se preocupado cada vez mais com a saúde, meio ambiente, animais e essa tomada de decisão está normalmente relacionada a esses fatores.

Quais cuidados devo ter ao parar de comer carne?

Ao parar de comer carne é importante procurar orientação nutricional para evitar deficiências. Quando se deixa de comer carne deve atentar-se aos baixos níveis de vitamina B12, ferro, zinco, ômega 3 e vitamina D. O acompanhamento  através de exames são ferramentas fundamentais para evitar problemas nutricionais e manter um bom estado de saúde.

Perda de Peso

Os vegetarianos podem se beneficiar com a perda de peso com a dieta vegetariana devido à maior introdução de vegetais em suas refeições. Eles promovem saciedade por conter as fibras e melhoram a microbiota intestinal. Essa dieta também representa uma menor fonte de gordura saturada que estão presentes nas carnes. A orientação nutricional na dieta vegetariana ou vegana é fundamental, muitos adeptos desse tipo de alimentação ficam perdidos em relação às substituições de fontes proteicas, vitaminas e minerais.

Menos energia

Como já mencionado anteriormente, a procura por um profissional é fundamental para direcionar as escolhas e substituições adequadas para proporcionar saciedade, energia, vitaminas e minerais, não havendo deficiências nutricionais e a sensação de falta de energia. Não vale substituir a proteína por batata frita e sobremesas. A substituição da proteína animal para a proteína vegetal deve ser obtida por leguminosas como feijão carioca, grão de bico, lentilha e outras. Outro foco importante é a ingestão de vegetais verdes escuros em combinação com alimentos fontes de vitamina C que melhoram a absorção do ferro. A falta de energia só ocorre quando existe desequilíbrio.

Maiores chances de ficar doente

Os vegetarianos e veganos apresentam menos chances de ficar doente porque consomem alimentos fontes de vitaminas, minerais e fibras que fortalecem o nosso sistema imunológico geralmente em maior quantidade do que em uma dieta não vegetariana. Esse tipo de dieta está associado a menores riscos de doenças cardíacas, câncer, dislipidemias, obesidade e diabetes.

Deficiência de nutrientes

As deficiências de nutrientes em uma dieta sem carne são observadas em pessoas que não receberam orientações adequadas durante a transição para mudança na alimentação. Vale lembrar que mesmo as pessoas que consomem carnes podem apresentar deficiências nutricionais.

Algumas deficiências nutricionais são observados nos veganos, em especial a vitamina B 12 que está presente em alimentos de origem animal, neste caso a suplementação é indicada. A deficiência de ferro quando observada, pode ser corrigida ingerindo alimentos verdes escuros associados a vitamina C que potencializa a absorção e o ômega 3 que não é uma deficiência só do vegano e vegetariano, mas sim da população em geral ocidental, pode ser suplementada com ômega 3 de microalgas que representam ótimas fontes. O cálcio apesar de ser encontrado no leite de animais, para os veganos as sementes como a de gergelim representam uma excelente fonte de cálcio, além das nozes e vegetais verdes escuros.

Perda do paladar

As pessoas acostumadas a ingerir carnes relatam mudanças no paladar após deixarem de consumi-las. As carnes, principalmente as processadas, são ricas em sal e sódio que alteram o paladar. Uma sugestão é utilizar temperos naturais como tomilho, alecrim, sálvia, gengibre e cúrcuma, estas opções são ótimas para dar sabor e saúde aos pratos do dia a dia. Uma dica é cultivar uma horta em sua casa e desfrutar dos sabores diferentes e aguçar o paladar com as ervas e as especiarias.

Alimentos que podem substituir os nutrientes da carne

As leguminosas como grão de bico, lentilha, ervilha, feijão carioca, fradinho, branco e outros são excelentes fontes de proteínas, além dos cogumelos, nozes, tofu, amaranto e quinoa. Com esses grãos podem ser feitos hambúrgueres, bolinhos, croquetes, almôndegas e outros. Não ingira frituras, prefira sempre alimentos grelhados e assados, dê preferência às preparações saudáveis já que a transição da dieta vegetariana e vegana está associada a saúde, meio ambiente e animais.

Quais os benefícios ao parar de comer carne?

As dietas veganas e vegetarianas têm sido associada a menores riscos de doenças cardiovasculares, redução dos casos de câncer, melhora da pressão arterial e diabetes. As dietas podem alterar o metabolismo e a inflamação. A introdução de vegetais frescos e frutas estão associados a uma dieta mais protetora por conter os compostos bioativos que trabalham na redução da inflamação promovendo proteção ao organismo.

Saúde

Quando a dieta sem carne está adequada, variada em nutrientes e suplementada quando necessário promove benefícios à saúde e quando não adequada, pode trazer diversos prejuízos. A escolha alimentar deve ser feita por carboidratos complexos como arroz integral, batata doce e aveia que promovem a disponibilização de glicose de forma lenta. Boas fontes de gorduras como abacate, nozes, castanhas, azeites e óleo de gergelim. Fontes proteicas obtidas a partir de leguminosas e introdução de vegetais e os verdes escuros associados a vitamina c que promovem uma melhor absorção de ferro. Adotar um estilo de vida saudável e práticas de atividades físicas prazerosas são hábitos que também favorecem a saúde.

Vida dos Animais

O número de abate de animais destinados à alimentação é muito grande. Atualmente, há em torno de 70 bilhões de animais terrestres em todo o mundo. As dietas sem carnes estão associadas a melhorias nos impactos ambientais, saúde e também de animais.

Meio ambiente

Mudar o hábito alimentar contribui para o meio ambiente. De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU) o setor de produção de animais é um dos responsáveis pelos problemas relacionados ao meio ambiente. São necessários de 10 a 20 litros de água para produzir  1 kg de carne bovina. Outro dado interessante é que a produção de 1 kg de carne bovina no Brasil gera emissão de 335 kg de Co₂. A pecuária também é um dos fatores de desmatamento no Brasil.

Diminuição do nível de colesterol

A dieta sem carne normalmente é rica em fibras que estão presentes nos feijões, aveia, frutas, verduras e legumes que são amplamente introduzidos nesta dieta, além de não conter as gorduras saturadas que são encontradas nas carnes. Devido a característica da dieta, ela diminui os níveis de colesterol e vale lembrar que as gorduras trans encontradas em biscoitos recheados, salgadinhos e margarinas também são prejudiciais. O consumo de alimentos fritos deve ser evitado já que a transição e mudança de hábitos também estão ligadas a saúde, é muito importante ficar atenta aos rótulos dos alimentos.

Reduz o risco de doenças cardiovasculares

As dietas vegetarianas e veganas quando associadas a um estilo de vida saudável como as práticas de atividade física, alimentação adequada em nutrientes, redução do estresse estão associadas a benefícios cardiovasculares. Quando realizada de forma bem distribuída em nutrientes e acompanhada contribui para redução nos quadros de hipertensão, colesterol, redução do peso, diminuição da gordura corporal e visceral. Vale lembrar que para uma boa saúde cardiovascular deve-se evitar frituras e gorduras trans.

Melhora da pele

Essa dieta é pobre em colesterol e rica em alimentos que atuam como anti-inflamatórios e  que possuem os fitoquímicos que são substâncias que fazem bem à saúde e proporcionam melhora na qualidade da pele.

Conclusão

A exclusão da carne na dieta não traz prejuízos desde que seja bem orientada e equilibrada na distribuição dos nutrientes. A suplementação de algumas vitaminas como a B12, ômega 3 e vitamina D devem ser introduzidas quando há riscos de deficiências ou até mesmo para fazer prevenção. Essa dieta contribui para o meio ambiente, saúde e animais.

  

Referências Bibliográficas

Moore. W. J et al. Dietary adherence and acceptability of five different diets, including vegan and vegetarian diets, for weight loss: The New DIETs study. Eating Behaviors. v.19, p. 33-38, 2015.

Yang. C. F et alEating right for a healthier heart: Food choice contributes to cardiometabolic benefits and reduction of carotid intima-media thickness. Nutrition. v. 78, 2020.

Nestel. P.J et al. Practical Guidance for Food Consumption to Prevent Cardiovascular Disease. Heart, Lung and Circulation. P. 3-17, 2020.

Disponivel em: https://www.svb.org.br/vegetarianismo1/meio-ambiente. 2020.

Geeta. S et al.Top 10 dietary strategies for atherosclerotic cardiovascular risk reduction. American Journal of Preventive Cardiology. v. 4, 2020.

Zyriax. B. C et al. Longterm consequences of diet styles (vegetarian, vegan, low-carb …). Maturitas. v. 124, p. 113, 2019.