As fibras podem ser definidas como partes comestíveis de alimentos como vegetais, frutas, legumes e leguminosas que são resistentes ao processo de digestão, mas servem de alimento para as bactérias intestinais e estão associadas à inúmeros benefícios.

A polidextrose é considerada uma fibra solúvel e apresenta como característica a capacidade de formar gel quando entra em contato com a água, o que auxilia na saciedade, controle do colesterol, glicemia e hipertensão.

O que é Polidextrose?

A polidextrose é um carboidrato não digerível, e apresenta inúmeros benefícios à saúde. Essa fibra presente está associada à manutenção da homeostase do organismo. A indústria introduz essa fibra em seus produtos devido ao baixo valor calórico, com finalidade de reduzir a adição de açúcares e conferir maior estabilidade aos produtos, além de contribuir com benefícios à saúde.

Para que serve Polidextrose?

A suplementação com essa fibra é muito utilizada para melhorar os níveis de colesterol devido à sua capacidade de se ligar à moléculas de gordura e evitar a sua absorção. Contribui com os níveis de glicemia devido à presença de fibra solúvel que faz com que a disponibilização de glicose seja gradual, evitando os picos de glicose no sangue.

Devido à sua capacidade de absorver água e formar gel, essa fibra auxilia na formação do bolo fecal. Isso tem despertado o interesse na indústria devido à associação do uso dessa fibra na saúde. A adição da polidextrose permite a redução de açúcares e também deixa o produto mais encorpado e espesso sem alterar o paladar.  

Quais são os benefícios da Polidextrose?

Os benefícios associados à introdução da polidextrose estão relacionados a manutenção dos níveis de glicose, bom funcionamento do intestino, auxilia na microbiota intestinal, controle de colesterol, melhora de LDL e também na manutenção e perda de peso devido à presença de sensação de saciedade.

Saciedade

Os efeitos benéficos na saciedade estão associados à capacidade de formar gel no estômago, contribuindo com a sensação de plenitude gástrica.

Essa sensação de saciedade evita os beliscos ao longo do dia, contribuindo com a manutenção ou perda de peso em alguns casos. Para se obter um bom efeito com o emagrecimento saudável é fundamental seguir uma dieta equilibrada e bem distribuída ao longo do dia que aliada ao uso de fibras solúveis contribui para alcançar os objetivos de forma eficiente.

Auxilia a flora intestinal

 As bactérias presentes no intestino fermentam as fibras provenientes da alimentação e produzem alguns ácidos graxos de cadeia curta que apresentam diversos benefícios. Eles estão relacionados á manutenção da integridade da parede intestinal deixando-a mais seletiva e evitando a permeabilidade de patógenos ou substâncias que não são adequadas ao organismo

Auxilia na regulação do intestino

O consumo regular de fibras está associado á benefícios no trânsito intestinal devido à melhora do volume e peso fecal, auxiliando na eliminação do bolo fecal e também minimiza os efeitos indesejados da constipação. Devido à capacidade de absorver água e formar gel, auxilia na melhora dos níveis de colesterol, glicose e contribui para microbiota intestinal.

Regulação da glicose

Melhora os níveis de glicose devido à sua capacidade de retardo de absorção dos carboidratos. Ou seja, os carboidratos são absorvidos de forma lenta e gradual evitando o excesso de glicose no sangue.

Efeito prebióticos

Os prebióticos são considerados substratos ou componentes alimentares que não são digeridos e que são utilizados pelas bactérias que colonizam o intestino e conferem uma série de benefícios para a saúde. Uma dieta equilibrada e balanceada tem papel fundamental no equilíbrio e manutenção da microbiota intestinal. A dieta rica em fibras como as solúveis auxiliam na diversidade e no ecossistema das bactérias intestinais.

As bactérias presentes no intestino fermentam as fibras vindas da alimentação, e produz alguns ácidos graxos de cadeia curta como o butirato, acetato e propionato que são rapidamente absorvidos no intestino e apresentam diversos benefícios. Eles estão associados aos ácidos graxos de cadeia curta e também relacionados a manutenção da integridade da parede intestinal deixando-a mais seletiva e evitando a permeabilidade de patógenos ou substâncias que não são adequadas ao organismo, regulam o sistema imune promovendo a inibição da produção de citocinas inflamatórias como TNF-α e IL-6 através da ativação de mecanismos de ação. Promovem também a estimulação de glutationa-S-trasferase, uma importante enzima que atua na eliminação de substâncias consideradas tóxicas ao organismo. O propionato auxilia na expressão de genes que capazes de realizar a síntese de leptina. A leptina é um hormônio que age diretamente em nosso cérebro e tem como função controlar o apetite, contribuindo para manutenção do peso corporal e evitando a obesidade. Por esses motivos o estímulo do consumo de dietas ricas em fibras tem sido importante atualmente.  

Quais são os alimentos que contém Polidextrose?

Os alimentos que são fontes de polidextrose são: trigo e derivados como biscoitos integrais, aveia, centeio e também pode ser encontrado na forma de pó em farmácias e lojas de suplementos. Na forma de pó pode ser adicionado a preparações como purês, sucos, shakes, sopas, vitaminas, leites e iogurtes.  

Polidextrose faz mal?

A polidextrose não faz mal, procure orientação de um profissional da saúde para orientá-lo em relação às quantidades diárias. Em geral, o uso é de até 10g ao dia sendo sugerido iniciar com 5 g. Após a introdução é necessário avaliar a aceitação e aumentar para 5 g duas vezes ao dia.

Conclusão

Estimular o consumo de fibras têm sido importante devido aos seus diversos benefícios, além de apresentar baixas calorias e promover saciedade. 

  

Referências Bibliográficas

Disponível em: https://alimentossemmitos.com.br/saiba-quais-sao-as-principais-fontes-de-fibras. Acesso 29/03/2021.

Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Polidextrose. Acesso 30/03/2021

Disponível em: https://www.abcdasaude.com.br/cardiologia/colesterol-e-fibras. Acesso 31/03/2021.

Disponível em: http://departamentos.cardiol.br/dha/consenso3/tratamento.asp. Acesso em 31/03/2021.