papel-dos-laticinios-no-desenvolvimento-da-acne-blog-nutrify

Papel dos Laticínios no desenvolvimento da Acne

A acne é uma doença inflamatória bastante comum entre adolescentes e jovens adultos. Sua fisiopatologia envolve quatro fatores essenciais: excesso de produção sebácea, hiperproliferação da bactéria Cutibacterium acnes, hiperqueratinização do folículo e inflamação 1.

O aumento na produção de sebo na pele é estimulado pelo fator de crescimento semelhante à insulina 1 (IGF-1), e hormônios androgênicos produzidos por glândulas também estimuladas pela IGF-1. Além disso, o IGF-1 reduz os níveis do fator de transcrição 1 Forkhead Box (FOXO1), o que leva à ativação do alvo do mamífero do complexo 1 de rapamicina (mTORC1), associado à proliferação e metabolismo celular 1,2.

Na acne, o mTORC1 está envolvido na hiperproliferação das glândulas sebáceas, na produção de lipídios e no aumento do tamanho de queratinócitos. Assim, verifica-se o papel crucial de tais substâncias na fisiopatologia da acne 2.

A ativação da mTORC1 também ocorre via leucina, aminoácido encontrado nas proteínas das carnes e laticínios 2.

A maior prevalência de acne em populações com dieta ocidental, rica em laticínios, alimentos processados e açúcares, sugere que a dieta influencia a patogênese da acne 3.

Aminoácidos contidos no leite promovem a secreção de insulina e estimulam a produção de IGF-1. Diversos estudos mostram que maiores níveis sanguíneos de IGF-1 estão relacionados a maior severidade da acne 2,4.

A relação entre acne e laticínios tem sido investigada em crianças, adolescentes e jovens adultos de diferentes países, e com diferentes tipos de laticínios, como leite, iogurtes, queijos e sorvetes. Dessa forma, este artigo tem o objetivo de apresentar o impacto do consumo de laticínios no desenvolvimento da acne.

Relação entre laticínios e acne

O consumo de laticínios, como leite, iogurte e queijos, é frequente na população ocidental e, segundo estudos, está associado à acne, em indivíduos entre sete e 30 anos de idade, independentemente do teor de gordura desses alimentos.

A ingestão de um copo de leite por dia foi mais associada ao risco para acne do que o consumo entre dois e seis copos de leite por semana, em estudo realizado por Juhl et al. (2018). Pesquisadores apontam que o consumo de leite, a partir de três vezes na semana, já é suficiente para ter efeito deletério na acne 6. Isso contribui para a orientação nutricional baseada na redução do consumo de leite, para a população que sofre com acne, ao invés de proibir tal alimento.

Uma das hipóteses que explica tal relação é que, apesar de em pequena quantidade, tais alimentos contêm androgênios, precursores de dihidrotestosterona e outros fatores de crescimento não esteroidais, que podem afetar a unidade pilossebácea.

Além disso, o consumo de lácteos é associado ao aumento dos níveis de IGF-1. A hiperinsulinemia, causada por tais efeitos, também aumenta os níveis de IGF-1, impactando na hiperplasia e apoptose dos queratinócitos.

No tratamento da acne, é comum o uso de medicamentos antibióticos da classe tetraciclina, que apresentam absorção reduzida quando ingeridos com laticínios. O cálcio presente nesses alimentos pode quelar a doxiciclina, por exemplo. Por isso, é importante, no atendimento nutricional, questionar o uso de medicamentos e realizar a orientação correta, para que a dieta não interfira na absorção do medicamento e prejudique o tratamento médico do paciente 2.

Uma metanálise recente verificou que, apesar do leite ser relacionado à acne, iogurtes e queijos não estiveram associados ao desenvolvimento das lesões 2,10.

Alguns pesquisadores sugerem que o impacto do consumo de laticínios na acne ocorre devido ao índice de insulina, definido como a elevação dos seus níveis no sangue, durante duas horas após o consumo. O leite tem índice de insulina muito alto, independentemente do seu teor de gorduras, assim como sorvetes devido ao açúcar adicionado, enquanto o queijo contém índice de insulina baixo, o que pode explicar a relação entre leite e sorvete com acne, e a não relação entre queijo e acne. Porém, mais estudos devem ser realizados para investigar tais associações 2,11.

Considerações finais

Dessa forma, verifica-se que o consumo de laticínios pode desempenhar papel importante no desenvolvimento, agravamento e no tratamento da acne, portanto, a orientação nutricional deve ser individualizada, com base na correlação entre a queixa do paciente com acne e seu consumo de laticínios, devendo ser apresentadas alternativas aos produtos lácteos para suprir seu valor nutricional quando eles estiverem associados à acne do paciente. Também é importante ressaltar que, em determinados casos, apenas a redução do consumo de lácteos já pode contribuir na melhora do quadro clínico.

Referências bibliográficas

  1.           DAI, R. et al. The effect of milk consumption on acne: a meta-analysis of observational studies. Journal of The European Academy of Dermatology and Venereology. v. 32, n.12, p. 2244-53, 2018.
  2.           BALDWIN, H.; TAN, J. Effects of diet on acne and its response to treatment. American Journal of Clinical Dermatology. v.22, p.55-65, 2021.
  3.           MATSUI, M.S. Update on diet and acne. Cutis., v. 104, n.1, p. 11-13, 2019.
  4.           KUCHARSKA, A; SZMURLO, A; SINSKA, B. Significance of diet in treated and untreated acne vulgaris. Postepy Dermatol Alergol., v. 33, n. 2, p.81-8, 2016.
  5.           JUHL, C.R.; et al. Dairy Intake and Acne Vulgaris: A Systematic Review and Meta-Analysis of 78,529 Children, Adolescents, and Young Adults. Nutrients., 10, 2018, 10, 1049.
  6.           DALL’ OGLIO, F. et al. Diet and acne: review of the evidence from 2009 to 2020. International Journal of Dermatology. v. 60, n.6, p.672-85.
  7.           ADEBAMOWO, C.A. Milk consumption and acne in teenaged boys. Journal of the American Academy of Dermatology. v. 58, n.5, p. 787-93, 2008.
  8.           MELNIK, B.C. Evidence for acne-promoting effects of milk and other insulinotropic dairy products. Nestle Nutr Workshop Ser Pedriatr Program., v. 67, p. 131-45, 2011.
  9.           SILVERBERG, N. Whey protein precipitating moderate to severe acne flares in 5 teenaged athletes. Cutis., v.90, p.2, p.70-2, 2012.
  10.         AGHASI, M. et al. Dairy intake and acne development: a meta-analysis of observational studies. Clin Nutr., v. 38, n.3, p.1067-75, 2019.
  11.         HOYT, G. Dissociation of the glycaemic and insulinaemic responses to whole and skimmed milk. Br J Nutr., v. 93, p-175-7, 2005.

Marianne Rocha

@nutri.mariannerocha

Rolar para cima