medicina-integrativa-o-que-e-e-como-funciona-blog-nutrify

Medicina Integrativa: O que é e como funciona?

A medicina integrativa pode ser definida como uma prática da medicina que leva em consideração a importância da relação entre o paciente e o profissional da área da saúde.

A saúde é focada como um todo e não só na doença, ou seja, é uma parceria entre médico e paciente uma relação de confiança onde o paciente participa ativamente de sua saúde. Nesta modalidade de parceria entre profissionais da saúde ocorrem as reuniões entre diferentes áreas da saúde para a tomada de decisões em conjunto com o paciente. Esse tipo de tratamento contribui e promove segurança e confiança para o paciente tornando o tratamento mais eficaz e satisfatório por promover maior adesão e segurança para o paciente. Resumindo é o tratamento de forma integrada entre profissionais da saúde e paciente de forma mais humanizada envolvendo diferentes terapias para promover a recuperação e o bem estar do paciente.

Como surgiu a medicina integrativa?

Os métodos de tratamento través da medicina vem se modificando ao longo dos tempos e novas terapias foram sendo introduzidas para que o paciente se sinta confortável e satisfeito com o atendimento. O modelo ocidental é caracterizado pelo biomédico ou medicina convencional apresentando soluções para problemas da doença. Mas esse modelo tem sido considerado há algumas décadas insatisfatórios por parte da população que tem buscado novas terapias para aperfeiçoar o tratamento. No final de 1980 nos Estados Unidos e Reino Unido foi criada a denominação Medicina Complementar que veio para auxiliar e possibilitar a associação de modelos. E no ano 2000 surgiu o termo medicina integrativa, onde o tratamento é integrado ou seja em conjunto com outras terapias levando em conta o corpo, mente e espírito. A união dessas terapias em conjunto com o tratamento permite ao paciente um bem estar físico e mental melhorando diversos aspectos do tratamento.

Como funciona a medicina integrativa?

Esse tipo de medicina promove bem estar deixando o médico e profissionais da saúde próximo de seu paciente, as decisões em conjunto tornam-se mais fáceis e eficazes após essa relação de confiança ser estabelecida. A oncologia integrativa é um exemplo. Os tratamentos da oncologia como quimioterapia, radioterapia e cirurgias provocam sensação de medo e insegurança e é neste momento que a equipe de saúde pode atuar em conjunto para oferecer terapias que melhor se adéqüe ao paciente para que consiga minimizar as sensações que o tratamento pode ocasionar.  A aplicação de terapias como acumpultura, atenção plena e terapias cognitivas comportamental em pacientes com depressão com câncer e outras enfermidades tem sido eficazes na melhora da ansiedade, fadiga, dor e dispnéia. Um relato de estudo de caso de um menino chinês de 12 anos que apresentava hiperfagia há um ano e relato de diabetes tipo 2 em tratamento farmacológico, pode-se observar através da medicina integrativa os benefícios após a utilização de ervas, exercícios físicos e controle da dieta. Após a adesão dessas terapias houve uma melhora nos quadros de glicemia além da redução da hemoglobina glicada e observou-se reversão do diabetes após seis meses de tratamento. Essa melhora pode ser atribuída a redução do peso devido a introdução de praticas de atividades físicas aliada a uma alimentação adequada. Esse estudo de caso mostra a importância de outras terapias para obtenção e otimização dos resultados esperados com o paciente.

Anamnese

A anamnese é uma ferramenta muito importante e fundamental para conhecer o paciente, é realizado algumas perguntas que permite ao profissional da saúde conhecer o paciente e registrar as informações para traçar uma terapia adequada e individualizada.

Quais são os benefícios ao praticar a Medicina Integrativa

Um dos benefícios principais é a qualidade de vida. Quando o paciente consegue gerenciar as suas emoções como ansiedade e depressão que muitas vezes são desencadeadas por medo do tratamento, ele consegue entender e lidar melhor com a sua patologia o que contribui para uma melhor adesão ao tratamento devido a segurança e satisfação do paciente.

Quais são as praticas da Medicina Integrativas?

Diferentes técnicas e praticas da medicina integrativa podem ser utilizadas para melhorar a ansiedade e medo como uso de florais, homeopatia, acupuntura, yoga, auriculoterapia, aromaterapia, reiki e meditação essas são algumas terapias que auxiliam no tratamento que podem ser feitas em conjunto ou isoladas.

Florais

È uma terapia ou intervenção que utiliza essências de florais. Em 1930 foram criados os florais de Bach por Edward Bach um médico inglês, essa terapia é baseada na pratica de cura através das plantas levando em consideração o individuo. O autor considera que as pessoas reagem de formas diferentes em relação as doenças sendo que algumas expressão medo, falta de esperança e outras raiva e por esse motivo o tratamento deve ser individualizado. As essências são feitas de plantas silvestres, flores e arvores do campo. Essas essências promovem harmonia bem estar proporcionando relaxamento corrigindo o desequilíbrio emocional de forma individualizada.

Homeopatia

A homeopatia foi criada pelo médico alemão Christiano Samuel Hahnemann, os medicamentos homeopáticos são extraídos de três reinos o animal, vegetal e mineral. São facilmente diluídos e apresentam-se nas formas liquida ou glóbulos e devem ser guardados em local seco, longe da luz e de campos magnéticos. Ela possui uma visão diferenciada sobre os processos de saúde e doenças com foco no individuo e não na doença, é necessário conhecer muito bem o paciente para direcionar o tratamento homeopático.

Acupuntura

È uma técnica milenar da medicina chinesa. Essa técnica consiste na aplicação de agulhas em pontos específicos do corpo com finalidade de tratar as doenças. A acupuntura age e auxilia em diversos tratamentos como nos de ansiedade e depressão proporcionando relaxamento e estimulando os hormônios que trazem sensação de alegria e bem estar.

Yoga

O Yoga é uma prática meditativa que pode auxiliar no gerenciamento da ansiedade. Essa atividade envolve exercícios de controle respiratório que auxilia na ansiedade, fortalece o corpo e contribui no gerenciamento das emoções.

Um estudo realizado com gestantes de alto risco que estavam em repouso no ambiente hospitalar mostrou que a introdução do yoga neste grupo tem impacto muito significante na redução da ansiedade e até mesmo da depressão dessas gestantes. A introdução dessas terapias favorece o bem estar através do controle emocional.

Meditação

A meditação é definida como um estado de consciência, uma técnica de autocontrole que serve para acalmar a mente e o corpo, através dela nos possibilita permitir ouvir e melhorar a sabedoria do corpo. Existem muitas formas de meditação, incluindo a resposta de relaxamento, meditações guiadas, meditação de atenção, meditação andando, meditação em movimento. O objetivo  da meditação é tranquilizar a mente, estar consciente no presente para encontrar um centro calmo em nós mesmos.

A meditação apresenta muitos efeitos benéficos para saúde mental e física do ser humana, e cada vez mais tem sido comprovada cientificamente a sua capacidade de eficiência em uma serie de funções como, por exemplo, no controle da ansiedade, atenção, doenças cardíacas, controle do peso, melhora da auto-estima dentre outros benefícios associados a sua prática.

As diferentes terapias como a de meditação tem sido fundamental nos  tratamento de doenças como auxiliadora nas intervenções de redução de risco cardiovascular  contribuindo para melhorar os quadros de hipertensão, diabetes, hipercolesterolemia, acidente vascular cerebral, doença coronariana. A meditação pode contribuir para aumentar o relaxamento físico e mental, levando a melhores resultados após eventos cardiovasculares. A inclusão da pratica de meditação na rotina está relacionada a  uma menor prevalência de fatores de risco cardiovascular e doenças. Sampaio et al (2016) verificou  a eficácia da meditação na redução dos níveis de ansiedade em indivíduos em um programa de manutenção e perda de peso. Pode se entender e concluir neste estudo que a meditação reduziu de forma consideravelmente a ansiedade dos obesos na fase de manutenção do peso, sendo considerado um recurso eficaz para a manutenção do peso e emagrecimento.

Conclusão

A medicina integrativa proporciona um tratamento mais eficaz e satisfatório para o paciente por ser empregado uma ou mais terapia que tratam a saúde e o paciente de modo individualizado. Este tipo de tratamento tem gerado satisfação e melhora da qualidade do tratamento através de terapias em grupos ou individualizadas.

Referências Bibliográficas

A medicina alternativa volta-se para a dimensão da terapêutica, aprofundando-se nos problemas explicados pelas teorias do estilo de vida e ambiental. Disponivel em: https://www.scielosp.org/article/csc/2011.v16n3/1801-1811/pt/, 20121.

Barros. N. F; Siegel. P. O que é a Oncologia Integrativa? Cad. Saúde Colet. V. 3, n. 21, p. 348-354, 2013.

Guzmán. R. M. M et al. Effect of complementary Integrative Oncology on anxiety, depression and quality of life in thoracic cancer patients: A pilot study. Complementary Therapies in Clinical Practice. V. 36, p. 56-63, 2019.

Shao. B. et al. Remission of new-onset type 2 diabetes mellitus in an adolescent using an integrative medicine approach: A case report.

Journal of Integrative Medicine. Disponivel on line, 2020.

Otani. M. A. P; Barros. N.F. A Medicina Integrativa e a construção de um novo modelo na saúde. Ciência & Saúde Coletiva. V. 3, n. 16, p. 1811-211, 2011.

Martins. A. C. Uso da terapia de floral de Bach em seres humanos: Uma revisão integrativa. Cad. Naturol.Terap. Complem. V.7.n. 13. P. 47-59, 2018.

Sampaio. C.V.S et al. Efficacy of Healing meditation in reducing anxiety of individuals at the phase of weight loss maintenance: A randomized blinded clinical trial. Complementary Therapies in Medicine. v.29, p.1-8, 2016.

Rolar para cima