Exageramos na produção de lixo e o planeta está sentindo os impactos. Saiba mais sobre o conceito que nos convida a mudar esse quadro.

Lixo zero ou zero waste, você já deve ter lido ou ouvido alguma dessas expressões por aí, em debates sobre sustentabilidade e meio ambiente. Mas, afinal, o que significa o tal lixo zero? Será que ele é viável na prática?

A Zero Waste International Alliance (ZWIA) define o conceito de lixo zero como: “a conservação de todos os recursos por meio da produção, consumo, reutilização e recuperação responsável de produtos, embalagens e materiais, sem queima e sem descarte na terra, água ou ar que ameacem o meio ambiente ou a saúde humana.”

Isso significa aproveitar o máximo de cada material ou produto e dar uma destinação adequada aos resíduos recicláveis. Além de reduzir drasticamente, ou mesmo eliminar, o uso de materiais descartáveis que não possam ser reciclados.

Lixo não é tudo igual

O padrão de vida moderno das grandes cidades, focado na conveniência e na velocidade, estabeleceu o senso comum de que qualquer coisa que não sirva mais à sua função principal é lixo. Mas não é bem assim, a primeira diferenciação que temos que fazer é entre resíduo e rejeito.

Resíduo é tudo que ainda pode ser reaproveitado de alguma forma, mesmo que com outra função. Por exemplo, embalagens de materiais recicláveis (como papel, vidro ou alumínio) ou restos de comida, que podem ser compostados (os chamados resíduos orgânicos). Já os rejeitos são materiais para os quais ainda não se encontrou uma solução de reaproveitamento viável, ou seja, o verdadeiro lixo. Absorventes higiênicos, fraldas descartáveis e rótulos adesivos são rejeitos comuns no nosso dia a dia.

Infelizmente, ainda não conseguimos tratar de forma ideal os resíduos orgânicos ou recicláveis, a maior parte acaba descartada em aterros sanitários ou lixões clandestinos. Isso traz prejuízos para o meio ambiente, como contaminação do solo e emissão de gases de efeito estufa, e coloca em risco a saúde das pessoas que vivem próximas a esses locais.

Assim, mesmo os materiais recicláveis acabam aumentando o problema do lixo se não forem, de fato, reciclados. O vidro, por exemplo, é um material reciclável, mas permanece mais de 1000 anos na natureza se não tiver um ciclo de reaproveitamento.

O 4 Rs do lixo zero

Se quisermos ter cidades lixo zero no futuro, precisamos focar nos 4 Rs:

  • REPENSAR – O primeiro passo é mudar a forma como encaramos os produtos que usamos. Praticidade é ótimo e todo mundo gosta, mas temos que considerar as consequências em longo prazo.
  • REUTILIZAR – Somos bombardeados o tempo todo pela ideia de que precisamos da “novidade”, mesmo quando o que temos ainda nos serve muito bem. Isso vale para roupas, móveis, objetos, eletrônicos… Usar um pouco mais (ou de outra forma), reformar e trocar são atitudes que podem estar mais presentes em nosso dia a dia.
  • REDUZIR – Quem nunca se arrependeu de ter comprado uma roupa que nem chegou a usar? Ou jogou fora, com dor no coração, um produto vencido que ficou esquecido no armário? Mesmo que você não se torne um minimalista convicto, tente consumir de forma mais consciente, compre apenas aquilo que faz sentido para você DE VERDADE.
  • RECICLE ­­­­– Aumentar o índice de reciclagem dos resíduos que podem ser reaproveitados na cadeia produtiva é uma missão de todos nós: consumidores, poder público e indústria. Comece com o básico, fazendo o descarte correto e direcionando seus resíduos recicláveis para os postos de coleta seletiva mais próximos de você.

Para finalizar, tem um outro R bem importante: RECUSE. Sempre que possível, recuse embalagens descartáveis, materiais não recicláveis ou brindes que vão para o fundo de uma gaveta qualquer.

Enquanto ainda estamos longe do lixo zero, todo lixo a menos importa, e muito! 

Fontes:

http://zwia.org/zero-waste-definition/

https://ilzb.org/conceito-lixo-zero/

https://www.ecycle.com.br/1499-residuo-e-rejeito.html

https://www.udesc.br/sustentavel/residuos/conceito

https://www.vgresiduos.com.br/blog/blogevitar-os-aterros-sanitarios/

https://www.menos1lixo.com.br/destaques/lixo-zero

http://www.casacausa.com.br/blog/2019/7/5/se-joga-dicas-casa-causa-para-um-vida-lixo-zero

https://www.ecycle.com.br/7954-aterro-sanitario.html

https://www.ecycle.com.br/postos/reciclagem.php