A suplementação de Glutamina tem sido utilizada com sucesso na prática clínica médica e nutricional. Essa utilização tem bom embasamento científico em diversos aspectos do binômio saúde-doença. (1,2,3)

Em termos gerais, a glutamina age na manutenção do adequado funcionamento das células intestinais (enterócitos) e essas, por sua vez, estão relacionadas com os processos de absorção e utilização de inúmeros nutrientes essenciais para o bom funcionamento orgânico, desde a função imunológica até o adequado equilíbrio da química cerebral (eixo intestino-cérebro). (1,2,3)

CONHEÇA GLUTAMINE NUTRIFY

Em indivíduos que apresentam deficit alimentar (dietas restritivas, por exemplo), disbiose intestinal, doenças crônicas em tratamento, estresse constante (emocional, psíquico ou físico, decorrente de um treinamento excessivo, por exemplo), a suplementação de glutamina está no escopo do pensamento racional para restauração e manutenção da saúde, e pode ser utilizada caso seja necessario.(1,2,3)

Em indivíduos praticantes de atividades físicas de forma mais intensa e vigorosa, ou em atletas, devido ao esforço físico muito intenso, a literatura científica aponta que há uma queda temporária da função imunológica após as sessões de treinamento. Assim, há um aumento do risco de indivíduos, mesmo saudáveis, serem acometidos por doenças de forma aguda (4).

Uma questão de discussão científica atual é se suplementação de glutamina em atletas pode auxiliar na melhora dessa função imunológica debilitada temporariamente, a fim de evitar o adoecimento (4).

Em uma das maiores bases de dados científicos atual, o MEDLINE, via site PUBMED, uma pesquisa sobre glutamina e sistema imunológico (em inglês: glutamine AND imune system) retorna com mais de 20 revisões sistemáticas, 8 meta-análises e mais de 70 estudos randomizados controlados.

Procurando por níveis mais altos de evidência científica (meta-análise de estudos randomizados controlados) para melhor esclarecer o tema, a mais recente revisão sistemática com meta-análise de dados data de 2007. Nela, 8 estudos avaliaram os efeitos da suplementação de glutamina, mas sem evidência de resultados positivos na melhora da função imunológica de atletas de alto rendimento. (4)

No entanto, têm surgido estudos (randomizados controlados) mais recentes, por isso não incluídos na meta-análise de 2007, que avaliaram efeitos positivos em alguns parâmetros imunológicos. (5 -7)

Apesar da evidência atual ser tida como inconclusiva para suplementação de glutamina em indivíduos fisicamente ativos, para melhora do sistema imunológico especificamente, cada vez mais vêm surgindo estudos que mostram benefícios da potencial utilização da suplementação. Esses resultados devem ser incluídos nas próximas atualizações de estudos de alta qualidade (revisões sistemáticas e meta-análises). (5-7)

Consulte um nutricionista para avaliar a necessidade de suplementação de glutamina para a manutenção ou restauração do bom funcionamento intestinal, do sistema imunológico e da saúde em geral.

Referências:

1) Glutamine metabolism in advanced age. Meynial-Denis D. Nutr Rev. 2016 Apr;74(4):225-36. doi: 10.1093/nutrit/nuv052. Epub 2016 Mar 2. Review.
Link para o estudo: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26936258

2) Exogenous glutamine: the clinical evidence. Bongers T, Griffiths RD, McArdle A. Crit Care Med. 2007 Sep;35(9 Suppl):S545-52. Review.
Link para o estudo: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/17713407

3) The effect of glutamine intake on complications of colorectal and colon cancer treatment: A systematic review. Jolfaie NR, Mirzaie S, Ghiasvand R, Askari G, Miraghajani M. J Res Med Sci. 2015 Sep;20(9):910-8. doi: 10.4103/1735-1995.170634. Review.
Link para o estudo: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26759580

4) Nutritional modulation of exercise-induced immunodepression in athletes: a systematic review and meta-analysis. Moreira A, Kekkonen RA, Delgado L, Fonseca J, Korpela R, Haahtela T. Eur J Clin Nutr. 2007 Apr;61(4):443-60. Epub 2006 Nov 29. Review.
Link para o estudo: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/17136044

5) Effect of glutamine supplementation on neutrophil function in male judoists.
Sasaki E, Umeda T, Takahashi I, Arata K, Yamamoto Y, Tanabe M, Oyamada K, Hashizume E, Nakaji S. Luminescence. 2013 Jul-Aug;28(4):442-9. doi: 10.1002/bio.2474. Epub 2013 Jan 24.
Link para o estudo: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23348981

6) Carbohydrate and glutamine supplementation modulates the Th1/Th2 balance after exercise performed at a simulated altitude of 4500 m. Caris AV, Lira FS, de Mello MT, Oyama LM, dos Santos RV. Nutrition. 2014 Nov-Dec;30(11-12):1331-6. doi: 10.1016/j.nut.2014.03.019. Epub 2014 Mar 31.
Link para o estudo: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25280408

7) Glutamine supplementation and immune function during heavy load training. Song QH, Xu RM, Zhang QH, Shen GQ, Ma M, Zhao XP, Guo YH, Wang Y. Int J Clin Pharmacol Ther. 2015 May;53(5):372-6. doi: 10.5414/CP202227
Link para o estudo: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25740264