creatina-muito-alem-do-ganho-de-forca-e-massa-muscular

Creatina, muito além do ganho de força e massa muscular

A creatina é um dos suplementos nutricionais com maior respaldo cientifico na literatura atual.

O que é Creatina?

Trata-se de um nutriente encontrado naturalmente no organismo, formado a partir de três aminoácidos – arginina, glicina e metionina. Além disso, é possível encontrarmos a creatina em alguns alimentos de origem vegetal, e em maior proporção nos de origem animal.

Como tomar Creatina?

A creatina vem sendo consumida há bastante tempo por atletas e praticantes de atividade física, principalmente por desempenhar um importante efeito ergogênico em exercícios de alta intensidade e endurance. Após a ingestão têm-se o aumento do conteúdo intramuscular dos estoques de creatina, favorecendo o aumento da geração de energia e promovendo um melhor rendimento nos treinos e aumento de massa corporal.

No entanto, a ciência avança constantemente e hoje os estudos nos mostram que a creatina deve ser utilizada para outras finalidades, que vão muito além do ganho de força e massa muscular. A suplementação de creatina em patologias neurodegenerativas, quadros depressivos, distúrbios na gravidez e diabetes vêm tornando-se um potente agente terapêutico e cada vez mais usual entre os profissionais de saúde.

Porém a necessidade diária para que possamos observar os benefícios desse composto na saúde é de aproximadamente 3g ao dia, sendo necessária a inclusão deste na forma de suplemento alimentar para atingir a quantidade referida.

Creatina e Doenças Neurodegenerativas

Em relação a doenças neurodegenerativas e desempenho cognitivo os estudos concluíram que a suplementação de creatina mostrou ser eficaz por retardar a progressão da atrofia cerebral e melhorar a bioenergética cerebral. Além disso A suplementação de creatina foi associada ao aumento da excitabilidade corticomotora e da utilização de oxigênio no cérebro, melhorando o desempenho cognitivo.

Creatina e Diabetes Mellitus tipo II

O uso de creatina em indivíduos portadores de diabetes mellitus tipo II mostrou-se efetiva por promover o aumento da translocação de GLUT-4, redução da glicemia e HbA1C, melhorando assim o controle glicêmico a longo prazo.

Creatina e Gravidez

Durante a gravidez existe um aumento na demanda e utilização de creatina. Estudos apontam que a suplementação de creatina durante a gravidez contribui para o crescimento e desenvolvimento fetal.

Diante da eficácia do uso desse suplemento em diferentes condições clínicas, a creatina tornou-se um dos suplementos mais consumidos em todo mundo. A dosagem a ser utilizada pode variar de acordo com objetivo do uso, mas em geral o uso contínuo da creatina em dosagens moderadas não provocou nenhum efeito colateral.

Comprar Creatina

Opções de suplementos com creatina vegana e monohidratada estão disponíveis no mercado, isenta de corantes, conservantes e outros aditivos. Para cuidar do seu corpo e da sua saúde, são necessários suplementos puros e de origem confiável. Assim, a diferença dos resultados será notável tanto para o desempenho de atividades físicas quanto para sua disposição e qualidade de vida no dia a dia.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Tarnopolsky MA, et al. Creatine transporter and mitochondrial creatine kinase protein content in myopathies. Muscle Nerve. 2001;24(5):682–8.

Tarnopolsky MA. Clinical use of creatine in neuromuscular and neurometabolic disorders. Subcell Biochem. 2007;46:183–204.

Kley RA, Vorgerd M, Tarnopolsky MA. Creatine for treating muscle disorders. Cochrane Database Syst Rev. 2007;1:CD004760.

Bender A, Klopstock T. Creatine for neuroprotection in neurodegenerative disease: end of story? Amino Acids. 2016;48(8):1929–40.

Adhihetty PJ, Beal MF. Creatine and its potential therapeutic value for targeting cellular energy impairment in neurodegenerative diseases. Neuromolecular Med. 2008;10(4):275–90.

Ellery SJ, Walker DW, Dickinson H. Creatine for women: a review of the relationship between creatine and the reproductive cycle and femalespecific benefits of creatine therapy. Amino Acids. 2016;48(8):1807–17

Roitman S, et al. Creatine monohydrate in resistant depression: a preliminary study. Bipolar Disord. 2007;9(7):754–8.

Toniolo RA, et al. Cognitive effects of creatine monohydrate adjunctive therapy in patients with bipolar depression: Results from a randomized, double-blind, placebo-controlled trial. J Affect Disord. 2016.

Saúde Óssea? O Que Precisamos Saber Sobre Ela | Blog Nutrify

Rolar para cima