O óleo de coco contém em média 92% de ácidos graxos saturados que são extraídos através da prensagem da polpa ou cerne dos cocos.

Este óleo é muito utilizado na gastronomia, indústria e cosmético. É composto por lipídeos como o ácido caprílico, cáprico, mirístico, palmítico, esteárico, oléico, linoléico e ácido láurico, sendo o último encontrado em maior proporção. Outros componentes encontrados em menores concentrações incluem monoglicerídeos, diglicerídeos, fosfatídeos, ceras, pigmentos como os carotenóides, esteróis como os tocoferóis, que inibem a oxidação das cadeias de ácidos graxos do óleo de coco.  O óleo de coco por ser uma gordura de cadeia média é transportado, através da veia porta, diretamente do intestino para o fígado, onde se transforma em fonte de energia rápida.

Como é feito óleo de Coco?

Para realizar a extração do óleo de coco há uma variedade de métodos sendo que os principais são a extração artesanal, mecânica e por solvente.

Extração artesanal

A polpa do fruto é submetida ao cozimento intensivo em um recipiente contendo água. Logo após a fervura ocorre a separação do óleo e da parte aquosa. Em seguida, realiza-se a secagem do óleo em fogo baixo, e após esse procedimento o óleo é filtrado em papel de filtro. Esse método apresenta alguns pontos negativos, como baixo rendimento do produto com aspecto opaco e alta umidade. Para evitar o processo de oxidação em poucos dias, o óleo de coco artesanal deve ser centrifugado, o que proporciona melhor separação da fase oleosa e resíduos da extração.

Extração mecânica

Este método consiste na realização da técnica de prensagem, sem a utilização de solventes e o produto obtido mantém suas propriedades naturais. A extração por prensagem apresenta menor custo de extração, devido ao fato de não utilizar energia elétricas e solventes, como também não gera aquecimento do óleo sendo necessária a utilização de apenas uma prensa e um cilindro extrator.

Extração por solvente

Neste método adiciona-se o solvente orgânico em contato direto com o vegetal. Após um período de espera para que ocorra a transferência dos constituintes solúveis presentes na planta efetuam-se a separação das fases sólida e líquida. Então o óleo é obtido pela evaporação do solvente presente na fase líquida. Os solventes orgânicos mais utilizados para extração do óleo são o hexano, benzeno, metanol, etanol, propanol, acetona, pentano e diversos solventes clorados. Os pontos negativos da utilização de solventes orgânicos é a dificuldade na remoção de todo o solvente residual e a extração de compostos não voláteis. Para a realização da remoção destes compostos é necessária a utilização de muita energia o que gera um alto investimento em equipamentos e os solventes podem provocar alterações químicas nas moléculas.

Quais são os principais nutrientes do Óleo de Coco e seus benefícios na saúde?

O óleo de coco é composto por lipídeos como o ácido caprílico, cáprico, mirístico, palmítico, esteárico, oléico, linoléico e ácido láurico. Possui ácidos graxos de cadeia média (triglicerídeos de cadeia média TCM) que são de fácil metabolização em nosso organismo, conferindo energia rápida. O acido láurico é um dos principais ácidos graxos representando cerca de 50% do total dos ácidos graxos e tem sido muito estudado devido aos seus efeitos positivos na saúde atuando como antiviral, antifúngico e antibacteriana.

Nitbani. et al (2016) verificou que o  acido láurico tem apresentado efeitos positivos, atuando como agentes capazes de inibir o crescimento de Staphylococcus aureus, Bacillus cereus, Salmonella typhimurium e Escherichia coli em uma concentração de 5%. Widianingrum et al (2019), pode observar através de  testes in vitro o efeito inibitório do crescimento de S. aureus, observou que o óleo de coco age aumentando a capacidade das células imunológicas através da inibição do crescimento de S. aureus com mecanismos destrutivos da parede celular bacteriana e por aumentar a capacidade das células imunes fagocíticas.

O óleo de coco também tem ganhado destaque na saúde bucal, tem sido relacionados com a redução de inflamações e sangramento da gengiva, hidratantes dos lábios, redução da halitose, dentes mais brancos sendo usado de forma tópica passando ao redor da boca com finalidade de hidratação.

Famurewa et al (2018), teve como objetivo investigar o efeito protetor da suplementação dietética com óleo de coco virgem contra o desenvolvimento de toxicidade induzida por Methotrexate em ratos.  O estresse oxidativo e a peroxidação lipídica têm sido alvo de preocupação com os efeitos provocados pelo uso do Methotrexate, utilizado no tratamento de pacientes com câncer.  Esse medicamento atua reduzindo de forma significante o nivel de agentes antioxidantes que tem a capacidade de eliminar substâncias toxicas do organismo.  Embora o óleo de coco seja saturado seus compostos fotoquímicos contribuem com a presença de potentes antioxidantes naturais que poderiam ser responsáveis ​​pela melhora nas defesas antioxidantes.

Um crescente corpo de evidências indicam que óleo de coco atua como um alimento funcional devido aos efeitos benéficos à saúde associados a seus potenciais antioxidantes. O óleo de coco age minimizando a pró-inflamação induzida pelo uso da medicação Methotrexate, em conjunto com pré-tratamento com óleo de coco virgem (5% e 15%), isso pode ser observado em um experimento realizado em laboratório. O mecanismo do efeito antiinflamatório pode ser devido à capacidade do óleo de coco em reverter o estresse oxidativo induzido por Methotrexate.

Os polifenóis bioativos presente no óleo de coco podem modular as redes inflamatórias resultando na diminuição dos mediadores inflamatórios encontrados. Pode-se observar que a toxicidade do Methotrexate pode estar associada ao comprometimento do mecanismo de defesa antioxidante, além de uma perturbação dos mediadores pró-inflamatórios que podem ser revertidos pela suplementação dietética com óleo de coco sendo benéfica durante a quimioterapia reduzindo o estresse oxidativo e as respostas pró-inflamatórias.

Um estudo conduzido por Nevin e Rajamohan teve como objetivo investigar o efeito do consumo de óleo de coco virgem em vários parâmetros do perfil lipidico.  Neste estudo puderam observar que não houve alteração significativa no peso corporal dos animais da pesquisa. A concentração de colesterol no soro, fígado e coração do grupo tratado com óleo de coco virgem foi significativamente menor em comparação com animais do grupo controle. Os triglicerídeos no soro e nos tecidos foram significativamente menores nos animais tratados com óleo de coco virgem em comparação com os animais controle. O colesterol HDL nestes animais aumentou enquanto os níveis de colesterol LDL diminuíram significativamente. Através desses dados pode-se concluir que o uso do óleo de coco  com seu alto teor de polifenóis foi capaz de manter os níveis normais de colesterol e outros parâmetros lipídicos em tecidos e soro e também aumentou a concentração de colesterol HDL em ratos.

Como usar óleo de coco?

O óleo de coco apresenta uma versatilidade muito grande no seu uso, podendo ser adicionadas no preparo de arroz, peixes, farofas, bolos, mousses, chocolates, doces, tortas, adicionados a vitaminas, sucos, iogurtes e outros.

Este óleo tem apresentando muitos benefícios a saúde, mas é bom destacar que o seu consumo, assim como o de outros alimentos devem ser  em quantidades adequadas para que produza o efeito desejado, sendo sua recomendação diária de duas colheres de sopa de preferência em conjunto com refeições ou misturada a preparações.

Benefícios do óleo de coco

Os benefícios do óleo de coco estão relacionados aos efeitos antioxidantes, antifúngicos, antibacteriano, calmante, desintoxicante e hidratante.

Auxilia no emagrecimento

Quando o óleo de coco é consumido em quantidades adequadas apresentam inúmeros benefícios dentre eles a perda de peso. O desequilíbrio associado ao gasto energético e consumo alimentar inadequado, são uns dos principais contribuintes para o desequilíbrio do peso e consequentemente o desenvolvimento de comorbidades. No estudo de Valerius et al (2018) puderam observar que a  utilização do óleo de coco teve efeito positivo na redução do peso e circunferência abdominal em praticantes de atividades físicas em uma academia.

Por conter os triglicerídeos de cadeia média em sua composição, logo após o seu consumo este óleo é prontamente oxidado fornecendo energia, sem ser depositado na forma de gordura. Observaram também que a ingestão diária de 12g apresentou efeito positivo auxiliando na redução de circunferência abdominal e diminuição de peso corporal. É importante destacar que uma alimentação saudável e praticas de atividade física aliada a suplementação são necessárias para alcançar o objetivo desejado.

Hidrata a pele e cabelos

Além de poder ser adicionados a alimentos o óleo de coco também tem finalidades cosméticas, sendo utilizados para hidratar o cabelo proporcionando brilho e maciez. Na pele atua como hidratante corporal e também labial e hidratante para as axilas.

O óleo de coco pode ser utilizado por pessoas com diabetes

Os diabéticos podem fazer uso do óleo de coco, mas é bom destacar que é necessário ir a um profissional habilitado para realizar o acompanhamento e indicar a quantidade a ser consumida. O uso de óleo de coco para diabéticos está associado no auxilio ao equilíbrio dos níveis de açúcar no sangue, evitando crises de hipoglicemia e até o aumento da insulina.

Como óleo de coco auxilia nas funções cerebrais e imunológicas

Estudos com a utilização do óleo de coco em doenças imunes tem se mostrado promissores por melhorar o perfil lipídico e atuar nos radicais livres.

O cérebro humano possui alta demanda por consumo de oxigênio e essas características tornam o cérebro altamente vulnerável ao estresse oxidativo. Quando envelhecemos, as defesas antioxidantes no cérebro tornam-se atenuadas, o que contribui com o aumento do dano oxidativo, que é considerado a principal causa de instabilidade genômica em nossos neurônios e, consequentemente estão associadas a doenças neurodegenerativas, relacionadas à idade, como a doença de Alzheimer e Parkinson.

O estresse oxidativo causa neurodegeneração por meio de seus efeitos tóxicos por diferentes vias. Foi observado em ratos Wistar alimentados com óleo de coco virgem uma melhora cognitiva. O efeito no aumento da memória induzido pelo óleo de coco virgem foi acompanhado por antioxidantes elevados como a glutationa  e peroxidação lipídica reduzida, esses mecanismos induzidos pelo consumo do óleo de coco virgem, atuaria nas vias antioxidantes reduzindo os efeitos deletérios da doença por estimular a produção de enzimas que reduzem os radicais livres.

Foi observado também que o óleo de coco possui efeito benéfico  contra transtornos do humor como ansiedade, depressão e estresse. O óleo de coco virgem teria melhorado os efeitos negativos do estresse sobre a ansiedade. O efeito protetor do óleo de coco contra o derrame também está relacionado ao aumento da capacidade antioxidante, bem como à redução dos biomarcadores que causam danos aos lipídios. A influência do óleo de coco na prevenção e desenvolvimento da doença de Alzheimer tem sido reconhecido. Os ensaios clínicos desenvolvidos demonstraram um aumento da sobrevivência dos neurônios, capacidade de atenuar alterações mitocondriais, com efeito positivo no tamanho e na regulação de todo o metabolismo energético mitocondrial, e melhorias significativas em todas as funções cognitivas.

Curiosidades sobre o Óleo de Coco

Os perfis de ácidos graxos do óleo de coco refinado e do óleo de coco virgem são quase semelhantes. O óleo de coco virgem apresenta uma quantidade maior de compostos polifenólicos  quando comparado ao óleo de coco refinado. Compostos fenólicos são os ácido cafeico, ácido ferúlico, ácido sármico, catequina. Durante o processo de refino aplicado na preparação do óleo de coco pode ocorrer a remoção de alguns dos conteúdos fenólicos. A análise de várias amostras de óleo de coco virgem revelou que o teor de polifenol é maior no óleo de coco virgem do que o extraído em altas temperaturas.

Além disso, a vitamina E em miores quantidades foi encontrada no óleo de coco virgem em comparação ao óleo de coco refinado. A presença dos antioxidantes dietéticos são considerados primordiais nos alimentos uma vez que eles  são capazes de proteger os tecidos dos efeitos prejudiciais das espécies reativas de oxigênio. A superprodução dos radicais livres durante o estresse oxidativo é conhecida por danificar proteínas, ácidos nucléicos, membranas celulares e tem sido associada a muitas doenças crônicas. Por esse motivo a escolha de um produto com potencial ação antioxidante é fundamental para prevenir, evitar ou mitigar possíveis doenças.

Receitas com Óleo de Coco

Como já foi exemplificado, o óleo de coco apresenta uma versatilidade muito grande podendo ser adicionados a receitas conferindo sabor, segue alguns exemplos de receitas.

 

Granola com óleo de coco

1 e 1\2 xícara de chá de aveia em flocos

20g de coco fresco

20g de amêndoa

20g de castanha do Pará ou de sua preferência

1 colher de sobremesa de canela em pó

2 colheres de sopa de óleo de coco

4 colheres de sopa de mel

Modo de preparo

Misture todos os ingredientes e leve para assar em forno médio por cerca de 20 minutos. Pode ser adicionado a iogurtes e frutas.

 

Shot

1\2 suco de limão

1\2 colher de chá de cúrcuma

1 pitada de pimenta de pimenta do reino

1 colher de chá de óleo de coco

1\2 colher de chá de gengibre

20 ml de água mineral

Modo de preparo

Misture todos os ingredientes e beba na seqüência

 

Banana grelhada com óleo de coco

2 bananas nanica ou de sua preferência

1 colher de sopa de óleo de coco

1 colher de café de canela

1 pitada de gengibre em pó

Raspas de limão

Modo de preparo

Adicione o óleo de coco na frigideira, assim que aquecer coloque as bananas cortadas ao meio e deixe grelhar. Adicione a canela, gengibre e as raspas de limão.

 

Considerações sobre o uso do óleo de coco

O uso do óleo de coco especialmente o óleo de coco extra virgem tem sido reconhecido em estudos pelo seu potencial efeito antioxidante, antibacteriano e antifúngico apresar de mais estudos em longo prazo serem necessários muitos já tem mostrado as correlações de seu uso com os benefícios a saúde.

 

CONHEÇA A LINHA NUTRIFY!

 

Referências Bibliográficas

PINHO, A.P.S;  SOUZA. A. F. Extração e caracterização do óleo de coco (cocos nucifera l). Perspectivas Online: Biológicas & Saúde. v. 8, n 26, p.9-18, 2018.

Nitbani. F. O. et al.  Isolation and Antibacterial Activity Test of Lauric Acid  from Crude Coconut Oil (Cocos nucifera L.). Procedia  Chemistry.   v 18,p  132  –  140, 2016.

Widianingrum .D. C. et al.  Antibacterial and immunomodulator activities of virgin coconut oil (VCO)againstStaphylococcus aureus. Heliyon. v.5, 2019.

 Woolley. J et al The effect of oil pulling with coconut oil to improve dental hygiene and oral health: A systematic review. v. 6, 2020.

Famurewa. A. C. et al. Beneficial role of virgin coconut oil supplementation against acute methotrexate chemotherapy-induced oxidative toxicity and inflammation in rats. v. 7, p. 257-263, 2018.

Nevin. K.G; T.Rajamohan. T. Beneficial effects of virgin coconut oil on lipid parameters and in vitro LDL oxidation. v. 37, n 9, p.830-835. 2004

Valerius. G et al. Utilização do óleo de coco na redução de peso e circunferência abdominal em praticantes de atividade física de uma academia de um município do Rio Grande do Sul. RBNE. v.12, n. 76, 2018.

Lim. S. M et al. Coconut oil and antioxidative neuroprotection. https://www.sciencedirect.com/science/article p. 231-247. 2020.

Jayawardena. R et al. Effect of coconut oil on cardio-metabolic risk: A systematic review and meta-analysis of interventional studies. iabetes&Metabolic Syndrome. v.14, n.6, p. 2007-2020, 2020.