O organismo passa por diversas fases ao longo da vida, como infância, puberdade, maturidade e envelhecimento. No início, essas mudanças são pouco visíveis, porém ao final da terceira década ocorrem as alterações que podem ser funcionais e estruturais. A preocupação com os hábitos alimentares e com a qualidade de vida devido ao aumento da expectativa, leva as pessoas cada vez mais a se preocuparem com a estética e a prevenção do surgimento precoce de doenças degenerativas por meio da ingestão de alimentos saudáveis. O que contribuiu com as pesquisas sobre os alimentos e ingredientes que possuem propriedades terapêuticas, além das funções nutricionais normais.

Uma proteína que tem ganhado destaque e que estudos têm cada vez mais comprovado seus efeitos terapêuticos na prevenção do envelhecimento e melhora nos quadros clínicos das articulações e da qualidade de vida é o colágeno hidrolisado. O estilo de vida de cada indivíduo como os hábitos alimentares, tabagismo, sedentarismo, fatores hormonais, estresse, genética, exposição ultravioleta, entre outros, estão relacionados ao retardo ou aceleração do processo de envelhecimento. Com o processo natural do envelhecimento ocorre a diminuição do colágeno e da elastina sendo notada pela atrofia, formação de rugas profundas e ressecamento da pele. A partir dos 30 anos ocorre a redução e perda de colágeno, tendo uma diminuição de 1% da proteína ao ano. Os estudos sobre o envelhecimento cronológico vêm sendo cada vez mais aprofundados com o intuito de retardar seus efeitos, e melhorar a auto-estima e qualidade de vida. Uma vez que a população em geral aumenta a expectativa de vida. Assim, diversos tratamentos têm sido propostos em busca de amenizar os sinais deste processo natural e a indústria trabalha para desenvolver medidas preventivas contra os sinais do envelhecimento para proporcionar às pessoas maior qualidade de vida.

O que é colágeno?

O colágeno é caracterizado por ser uma proteína fibrosa encontrada em todo o reino animal, contém cadeias peptídicas dos aminoácidos glicina, prolina, lisina, hidroxilisina, hidroxiprolina e alanina. Elas são organizadas formando as fibras de colágeno, que proporcionam resistência e elasticidade à estrutura presente. Uma característica importante é a sua composição, fornecendo um alto nível de glicina e prolina, esses dois aminoácidos essenciais estão relacionados a estabilidade e a regeneração das cartilagens que atuam na melhora dos quadros clínicos de pessoas com problemas articulares. O colágeno também é uma proteína produzida pelo nosso organismo de forma abundante. Essa proteína contribui com a melhora da elasticidade, resistência da pele, saúde das unhas e cabelos e é responsável por constituir as fibras que sustentam os tecidos do corpo como ossos, músculos, tendões e articulações. A demanda de colágeno no organismo pode ser afetada tanto pelo envelhecimento quanto pela má alimentação. Essas alterações não são perceptíveis nos primeiros estágios da vida, mas vão ficando evidentes na maturidade, principalmente a partir dos 35 anos, e a sua deficiência no organismo está relacionada com o aparecimento de rugas e ressecamento da pele. Esses sinais podem estar correlacionados com várias circunstâncias.

Há diferentes tipos de colágeno os quais variam, por exemplo, em sua composição, comprimento e estrutura molecular.

 Os colágenos podem ser classificados de acordo com sua estrutura e função:

O colágeno tipo I, por exemplo, é o principal componente estrutural da matriz extracelular responsável pela manutenção da estrutura da derme e esse tipo está cada vez mais sendo indicado na prevenção do envelhecimento, é o mais comum, estando presente na pele, tendões e ossos.

O colágeno tipo II: é mais abundante nas cartilagens – forma fibrilas é muito utilizado para minimizar os sintomas da osteoartrite e osteoporose.

Colágeno tipo III: atua nos tecidos fetais, órgãos e glândulas, órgãos linfoides e hematopoiéticos.

Colágeno tipo IV: membrana basal dos epitélios, vasos e célula muscular lisa – não formam fibrilas, formam rede.

Colágeno tipo VII: membrana basal de epitélios – formam fibrilas de ancoragem.

Existem outros tipos como os: IX, XII, XIV, etc, sendo que os mais utilizados são os tipos I e II.

Para que serve o colágeno?

O colágeno é muito indicado para o fortalecimento de unhas e cabelos, cartilagens e melhora da elasticidade da pele.

Benefícios do colágeno

O colágeno hidrolisado é um ingrediente seguro e que apresenta uma boa biodisponibilidade ao organismo fornecendo os peptídeos reguladores que atuam na melhora de quadros clínicos das articulações e ossos, seus efeitos benéficos na prevenção do envelhecimento, contribuído com a melhora na auto estima e saúde das pessoas. Uma pesquisa realizada em 2018, sobre suplementação oral diária de peptídeos de colágeno combinados com outras vitaminas têm mostrado melhora na elasticidade da pele e redução do envelhecimento, além dos benefícios para saúde da pele, os pesquisadores puderam observar uma melhora nas articulações com desconforto reduzido e um aumento na mobilidade articular dos idosos.

Colágeno para pele

O colágeno hidrolisado tem sido muito estudado devido a sua massa molecular relativamente baixa e a sua boa disponibilidade e facilidade de absorção. Estudos mostraram que ele é absorvido e pode ser identificado através de seus peptídeos constituintes, sendo posteriormente depositado na pele e seus efeitos na prevenção do envelhecimento e melhora da qualidade da pele estão cada vez mais evidentes.

Os efeitos benéficos da ingestão do colágeno hidrolisado na prevenção do envelhecimento precoce da pele estão associados aos peptídeos que possam aumentar a ação de fibroblastos e a formação de fibrilas de uma maneira específica.

 

Colágeno para articulação

Com o avanço da idade o colágeno vai diminuindo sendo a suplementação importante para algumas pessoas. O tipo II associado a vitaminas e antioxidantes apresenta efeito protetor na cartilagem articular e principalmente no alívio sintomático em quadros de dor.  O seu uso tem se demonstrado um bom aliado para as articulações. Nas modalidades esportivas, por exemplo, que aumentam o desgaste articular como as corridas, maratonas, vôlei, basquete, pular corda, esportes que exigem bastante dos joelhos, a suplementação pode ser uma boa aliada.

Colágeno para cabelo

O colágeno é fundamental para manter a estrutura, resistência, elasticidade dos fios e também para manter o cabelo hidratado.

Com quantos anos pode tomar colágeno?

A ingestão do colágeno é muito individualizada, depende da alimentação, estilo de vida como o tabagismo, bebidas alcoólicas e sono, ou seja, podendo ser recomendado até com 25 anos dependendo da avaliação de um profissional médico ou nutricionista.

A partir dos 30 anos ocorre a redução e perda de colágeno acarretando diminuição de 1% da proteína ao ano. Nessa faixa etária é interessante a introdução da suplementação.

Grávida pode tomar colágeno?

Sim, as grávidas podem tomar colágeno desde que orientadas pelo médico. É importante escolher suplementos sem corantes e aromatizantes artificiais.

Alimentos ricos em colágeno

As fontes alimentares de colágeno são carnes vermelhas, peixes, frango, gelatinas. Frutas cítricas são fundamentais para produção do colágeno e também possuem antioxidantes.

Colágeno hidrolisado

O colágeno hidrolisado verisol é a melhor escolha para ingestão do colágeno. Nesta forma ele passa por processo de hidrólise, ou seja, quebra as proteínas em fragmentos pequenos conhecidos como peptídeos. Esse processo o torna mais disponível e facilita a absorção otimizando seu uso pelo organismo. O colágeno hidrolisado verisol conta com uma tecnologia alemã que garante qualidade e confiabilidade no produto. Uma dose de 10g oferece 2,5 g de colágeno verisol.

Colágeno hidrolisado com vitamina C

A escolha de um colágeno com vitamina C é muito importante uma vez que os dois se complementam garantindo um melhor benefício.

A vitamina C auxilia no melhor aproveitamento do colágeno, além de ser responsável pela formação das fibras colagenosas. A união do colágeno com vitamina C só traz benefícios tanto para a pele, cabelo e também para a imunidade já que a vitamina C também fortalece o sistema imunológico prevenindo as gripes e resfriados.

Como tomar colágeno em pó?

O colágeno em pó apresenta uma versatilidade maior podendo ser adicionados a sucos, shakes, frutas picadas, vitaminas e água depende da preferência pessoal.

 Adicione 10g, 2 scoops de Collagen Renew Nutrify em 200ml do líquido ou na fruta de sua preferência ou conforme a orientação de um médico ou nutricionista.

Como tomar colágeno em cápsulas?

A cápsula também é uma opção e pode ser indicada para pessoas com dificuldades de ingerir o colágeno em pó. Deve ser ingerida com líquidos de sua preferência.

Qual o melhor horário para tomar colágeno?

O colágeno pode ser consumido em qualquer horário e momento do dia, mas a recomendação é para que seja ingerido longe de refeições com grandes quantidades de proteínas como almoço e jantar. A sugestão é ingerir antes de dormir ou no shot matinal, assim o organismo absorve melhor os nutrientes.

Colágeno engorda?

Não ele não engorda, possui baixa caloria, cerca de 30 em 10g.

Comprar colágeno

O colágeno pode ser adquirido em farmácias, lojas de suplementos alimentares e sites. O colágeno hidrolisado é um ingrediente seguro e que apresenta uma boa biodisponibilidade ao organismo fornecendo os peptídeos reguladores que atuam na melhora de quadros clínicos das articulações e ossos, e seus efeitos benéficos na prevenção do envelhecimento, contribuído com a melhora na autoestima e saúde das pessoas.

 

 

Referências Bibliográficas

Porfirio. E; Fanaro. G.B, Suplementação com colágeno como terapia complementar na prevenção e  tratamento de osteoporose e osteoartrite: uma revisão sistemática. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol., Rio de Janeiro; p.153-164, 2016.

POON, F.; KANG, S.; CHIEN, A. L. Mechanisms and treatments of photoaging. Photodermatology, Photoimmunology & Photomedicine, v. 31, n. 2, p. 65-74, 2015.

Ohara H, Matsumoto et al. Comparison of quantity and structures of hydroxyproline-containing peptides in human blood after oral ingestion of gelatin hydrolysates from different sources. Journal of Agricultural and Food Chemistry, v. 55, n.15, p.32-35, 2007.

Silva TF, Penna ALB. Colágeno: Características químicas e propriedades funcionais. Rev Inst Adolfo Lutz. São Paulo, n. 71, v.3, p.530-9; 2012.

Santelli. G.M.M, Zague.V, Bases Científicas dos Efeitos da Suplementação Oral com Colágeno Hidrolisado na Pele Revista Brasileira de Nutrição Funcional – v. 15, n.65, p. 19-25, 2016.

Zanardo. V.P.S, Bombana. V.B. Colágeno  Hidrolisado no Combate ao Envelhecimento Cutâneo, Revista Saúde em Foco – n. 11, p.1109-1119, 2019.

Chalamaiah. M et al. Regulatory requirements of bioactive peptides (protein hydrolysates) from food proteins. Journal of Functional Foods. v. 58, p. 123-129, 2019.

Czajka. A et al. Daily oral supplementation with collagen peptides combined with vitamins and other bioactive compounds improves skin elasticity and has a beneficial effect on joint and general wellbeing. Nutrition Research. v. 57, p. 97-108, 2018.