beneficios-do-n-acetil-l-cisteina-blog-nutrify

Benefícios do N-Acetil L-Cisteína (NAC)

O N-acetil L cisteína (NAC) é conhecido como um agente mucolítico composto por tiol e um precursor da glutationa, um poderoso antioxidante que se mantém em níveis elevados quando há presença do consumo do NAC. Os antioxidantes atuam combatendo os radicais livres que são formados no organismo de forma constante por diversos fatores como os ambientais e a alimentação. Esses radicais livres quando não são neutralizados e eliminados do organismo podem contribuir para o surgimento de algumas doenças e também para o desequilíbrio da manutenção do estado de saúde.

 A ação do NAC está cada vez mais sendo estudado com finalidade de elucidar as suas propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes. Os estudos mostram que o NAC pode atuar diminuindo o estado inflamatório. O excesso de adiposidade corporal, por exemplo, é conhecido pelo aparecimento de alterações metabólicas principalmente porque induz a ativação ao estresse oxidativo e inflamação prolongada acarretando desenvolvimento de comorbidades e síndrome metabólica.

O NAC possui efeitos profiláticos nas complicações metabólicas associadas à obesidade. Sua ação está relacionada com a redução do acúmulo de lipídios celulares e aumento dos níveis de antioxidantes intracelulares dos adipócitos contribuindo para a redução da inflamação e também do dano ao estresse oxidativo. Sua capacidade de aumentar os níveis endógenos de glutationa faz com que o NAC se torne um dos mais importantes antioxidantes na proteção contra o estresse oxidativo e aumenta o potencial terapêutico por prevenir muitas doenças induzidas pelo estresse oxidativo.

Foi observado que os adipócitos tratados com NAC como na resistência à insulina mostraram melhora na captação de glicose através de modulação de proteínas envolvidas nas vias da sinalização da insulina. Além dos benefícios observados, o NAC também pode atuar de forma bem significativa na inflamação reduzindo os níveis de ativadores da cascata da inflamação como o fator de necrose tumoral (TNFα) e interleucina.

O uso do NAC também tem sido observado na esquizofrenia, que é considerada uma síndrome psiquiátrica incapacitante e sua etiologia permanece desconhecida. Um dos mecanismos da esquizofrenia é o defeito no sistema antioxidante que causa aumento do nível de peróxido lipídico. O estresse oxidativo promove defeitos de membrana, disfunção do sistema imunitário e patologias de diferentes sistemas neurotransmissores. Nesses pacientes é observado uma diminuição no sangue, líquido cefalorraquidiano e córtex pré-frontal de glutationa. O N acetil L cisteína tem sido sugerido como uma terapia adjuvante e tem mostrado eficácia na utilização nesses pacientes.

Um estudo realizado com 140 pacientes com esquizofrenia crônica e 69 tratados com 2.000 mg dia de NAC durante 6 meses mostrou melhora significativa nos sintomas da esquizofrenia. Outros estudos também puderam elucidar as melhorias com a utilização de NAC nas interações sociais, motivações, estabilidade de comportamento e estabilidade psicomotora.

O uso da NAC tem sido considerado importante para a manutenção dos níveis adequados de glutationa, um poderoso antioxidante que possui capacidade de reduzir os níveis de inflamação e prevenir doenças causadas pelo estresse oxidativo quando não controlados.

Referências Bibliográficas

Dludla,P. V et al. The beneficial effects of N-acetyl cysteine (NAC) against obesity associatedcomplications: A systematic review of pre-clinical studies. Pharmacological Research. v. 146, p. 104332, 2019.

Allameh. A et al. Glutathione-related inflammatory signature in hepatocytes differentiatedfrom the progenitor mesenchymal stem cells. Heliyon. v.6, p. 041492, 2020.

Rolar para cima