Benefícios da Vitamina D: Imunidade, Óssea e Cardiovascular

A vitamina D pode ser obtida através da ingestão de alimentos sendo que apenas 10 a 20% da vitamina provêm da dieta, sendo as principais fontes dietéticas a vitamina D3 colecalciferol, que é de origem animal e estão presentes nos peixes gordurosos de água fria e profunda, como o atum e salmão. A vitamina D2 ergosterol, de origem vegetal, é encontrada nos fungos comestíveis. Sendo que 80% a 90% são sintetizados de forma endógena. As fontes alimentares precisam ser absorvidas na presença de gorduras, uma vez que a vitamina D é lipossolúvel, ou seja, absorvido na presença de gordura no intestino.

Para que a vitamina D seja ativada é necessário a exposição da pele à radiação ultravioleta por pelo menos 5 a 10 minutos ao dia, priorizando o início da manhã e final da tarde, dessa forma ocorre a ativação dessa substância. As fontes dietéticas podem fornecer a vitamina, porém o consumo desses alimentos é considerado baixo pela população ocidental, e combinando com estilo de vida atual de trabalhos dentro de escritórios, comportamentos de evitar o sol, incluindo uso de filtro solar. Esses fatores contribuem para que os níveis dessa vitamina tenham sido considerados cada vez mais baixos na população. As consequências da deficiência de vitamina D para a saúde está relacionada a problemas esqueléticos associados a má absorção de cálcio, raquitismo, osteoporose em adultos, contribuindo para risco de fraturas espontâneas, fraqueza muscular e doenças autoimunes. A sua deficiência pode causar sintomas como, fadiga, cansaço, dores nos ossos e costas, dificuldade de cicatrização, infecções frequentes e perda óssea.

  • Imunidade

A vitamina D exerce função importante na imunidade, ela atua na proteção para as células do epitélio intestinal promovendo a homeostase da barreira da mucosa intestinal. A deficiência de vitamina D está associada ao aumento da permeabilidade de patógenos como vírus e bactérias e ativação de vias inflamatórias como NF-kB pró inflamatório. A Vitamina D é responsável por atuar nas células do intestino com junções estreitas evitando a permeabilidade de patógenos através da infiltração de bactérias na mucosa do colón, causando inflamação. Essa inflamação quando ativada acarreta a queda do sistema imune, deixando o hospedeiro acessível a diferentes patógenos causadores de doenças como a diabetes mellitus, esclerose múltipla, doença inflamatória intestinal e artrite reumatoide.

Alguns estudos sugerem que a deficiência de vitamina D pode estar associada ao início de doenças intestinais como por exemplo, doença de Crohn e colite ulcerativa. Essas doenças são caracterizadas por inflamação crônica progressiva do trato gastrointestinal. Pesquisas sobre a doença de Crohn mostram que a vitamina D, por meio de seu receptor, atua na inibição da produção dos linfócitos T helper Th1 e Th17 e citocinas inflamatórias no trato gastrointestinal, reduzindo a inflamação e mantendo a microbiota intestinal, que têm um papel fundamental na função do sistema imunológico da mucosa. A suplementação de vitamina D é considerada uma terapia eficaz em pacientes com doença de Crohn.

  • Ossos e dentes

A vitamina D tem como função permitir que o cálcio e o fósforo dos alimentos sejam absorvidos no intestino, e em quantidades adequadas para manter e regular o funcionamento celular, neuromuscular e a saúde dos ossos e dentes, contribuindo com um crescimento e reparação adequada.

O estilo de vida atual tem levado muitas pessoas a apresentarem níveis baixos dessa vitamina e uma atenção precisa ser dada para evitar patologias provocadas pela deficiência de vitamina D. Quando há deficiência dessa vitamina observa-se implicações para a saúde como os problemas esqueléticos e raquitismo. A sua deficiência também pode causar sintomas como, fadiga, cansaço, dores nos ossos e costas, dificuldade de cicatrização, infecções frequentes e perda óssea.

  • Saúde Cardiovascular

A vitamina D desempenha papel relevante na absorção do cálcio que tem funções importantes em nosso metabolismo como na contração muscular cardíaca e de outros músculos e transmissão de impulso nervoso. Devido a essas funções importantes em nosso organismo é fundamental manter suas concentrações nos fluidos corporais em quantidades que possam garantir a homeostase e atividades essenciais do organismo. Há evidências cientificas de que o cálcio atue na prevenção da síndrome metabólica, AVC, melhora do perfil lipídico, aumento do HDL, redução do LDL e triglicerídeos contribuindo para a saúde cardiovascular. 

Referências Bibliográficas

Bouillon. R. et al Vitamin D insufficiency: Definition, diagnosisand management. Best Practice & Research Clinical Endocrinology & Metabolism. v.32, p. 669-684, 2018.

Binkley. N. et al. Low Vitamin DStatus: Definition,Prevalence,Consequences, andCorrection. Endocrinology and Metabolism Clinics .v. 39, n. 2, 2010.

 Fiamenghi. V. I;  Mello.E. D Vitamin D deficiency in children and adolescents withobesity: a meta-analysis. J Pediatria. p. 1-7, 2020.

 Montes. R. I et al. Vitamin D and autoimmune diseases. Life Sciences. V. 223, p. 1-8, 2019.

Castro. L. C. G O sistema endocrinológico vitamina D. Arq Bras Endocrinol Metab. p.55-58, 2011.

Texto elaborado por: Roberta Saraiva Giroto Patrício

Nutricionista Mestre em Ciências dos Alimentos pela Universidade de São Paulo.

Consultora Cientifica na integralmédica para blog Nutrify

Rolar para cima