Alimentação rica em frutose faz mal ao fígado? | Blog Nutrify

Alimentação rica em frutose faz mal ao fígado?

A frutose faz parte do grupo dos carboidratos que fornecem energia ao nosso organismo para que possamos desempenhar as funções do dia a dia. A frutose está presente nas frutas, mel e legumes e traz benefícios desde que seja consumida nas porções recomendadas. As frutas contêm fibras que auxiliam na absorção da forma mais adequada da frutose, contém também os antioxidantes fundamentais para combater os radicais livres que danificam estruturas celulares e causam doenças, além das vitaminas que auxiliam nas funções do organismo.

Recomenda-se consumir as frutas sempre com suas cascas quando possível, um exemplo é a maçã, pera e goiaba, ou também consumir o bagaço como no caso da laranja. Adicionar algumas fibras como aveia, farelos, sementes como de chia e linhaça também são estratégias interessantes para a disponibilização da frutose de forma lenta. Apesar de algumas frutas como a tâmara seca, caqui e banana serem consideradas ricas em frutose, não é necessária a exclusão dessas frutas da alimentação devido aos seus benefícios a saúde.

Uma dica é consumi-las na sua forma integral ou adicionar as fibras sugeridas acima. Não se deve excluir alimentos que contém frutose, a sua associação com fibras melhora a disponibilização de frutose de forma mais lenta, contribuindo para a saúde.

O que é frutose?

A frutose é um derivado do açúcar encontrado naturalmente nas frutas, feijões, ervilhas, beterraba, cenoura, mel e outros. A frutose presente na fruta não impacta tanto na saúde como as utilizadas pelas indústrias.

As frutas são compostas por antioxidantes, vitaminas, minerais e fibras, o que auxilia na saúde. Apesar de a fruta ser um alimento fundamental à saúde, é importante consumi-las em porções, com fibras ou de forma integral com as cascas e bagaço, vai auxiliar na absorção da frutose de forma gradual. Dessa forma, a disponibilização no organismo é gradual e não causa impactos negativos ao organismo.

Alimentos industrializados contém frutose?

A frutose também é muito utilizada nos alimentos industrializados como biscoitos, bolachas, cremes, pudins, refrigerantes, sucos, molhos e são consideradas prejudiciais à saúde quando consumidas em excesso. O interesse da indústria em utilizar a frutose está no sabor doce que confere aos alimentos, cerca de 70% mais doce que a sacarose, podendo utilizar uma quantidade menor com doçura maior.

Observe bem ao adquirir os alimentos industrializados, preste atenção no rótulo, consumir frutose em excesso está relacionada ao surgimento de algumas doenças crônicas não transmissíveis. O consumo excessivo de alimentos industrializados contendo frutose e gorduras, por exemplo, estão sendo associados ao desenvolvimento de obesidade, diabetes tipo 2, doenças cardíacas e até certos tipos de câncer.

Frutose faz mal ao fígado?

A frutose após passar pelo intestino vai para o fígado onde é processada e transforma-se em glicose, que pode ser liberada na corrente sanguínea ou armazenada na forma de glicogênio. Outra parte da frutose pode ser convertida em ácidos graxos que em casos de ingestão exacerbada contribui para a hipertrigliceridemia e doenças como a esteatose hepática, onde tem a probabilidade do fígado ficar gorduroso, podendo impactar na saúde, contribuindo para o estado de inflamação e elevação do estresse oxidativo.

Quando o consumo de frutose ocorre excessivamente e na forma de produtos industrializados o excedente fica armazenado na forma de gordura intra-hepática acarretando obesidade, diminuição da sensibilidade a insulina e aumento da adiposidade o que contribui para as doenças metabólicas. Essas condições elevam o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares, acidente vascular cerebral, diabetes tipo 2 e hiperlipidemia  

Porque a frutose em excesso faz mal ao organismo?

Consumir a frutose em excesso acarreta um aumento de gordura e principalmente no fígado que é um órgão fundamental para a metabolização de muitos nutrientes. O fígado quando fica gorduroso, sofre impactos na metabolização das gorduras e proteínas e pode favorecer o desenvolvimento de algumas doenças devido à atividade prejudicada desse órgão tão importante.

Doenças cardiovasculares

O consumo excessivo de alimentos industrializados ricos em frutose está associado à obesidade, aumento da circunferência abdominal e gordura visceral, impactando negativamente nas doenças cardíacas devido ao aumento dos níveis de triglicerídeos, colesterol total e níveis mais baixos de HDL.

Pressão sanguínea elevada

A obesidade ocasionada pela alimentação promove alterações em nossos genes que estão relacionados ao controle de forma adequada da pressão arterial, impactando na manutenção da pressão arterial de forma adequada.

As consequências de uma pressão arterial fora dos padrões implicam em risco aumentado de acidente vascular cerebral, insuficiência cardíaca, aneurisma e outros riscos.

Obesidade e diabetes

A obesidade e diabetes tipo 2 também podem ser desencadeadas por consequências de uma alimentação inadequada. O constante consumo de alimentos ricos em frutose resulta em aumento do tecido adiposo e também de uma ineficácia na utilização da glicose pelo organismo. A obesidade é uma doença que preocupa, quando não tratada pode trazer consequência para a qualidade de vida das pessoas, impactando de forma negativa na saúde.

Gordura no fígado

O fígado gorduroso pode ser uma consequência de uma alimentação inadequada. Quando não são tomadas medidas para a eliminação das gorduras presentes no fígado pode resultar no surgimento de muitas doenças.

Cerca de 30% da população ocidental apresenta esteatose hepática e esse número pode subir para 80% quando são consideradas apenas as pessoas diabéticas.

Para o tratamento do fígado gorduroso é necessário ajustar a alimentação, praticar atividade física e verificar com o médico a necessidade de utilização de medicação. A mudança de hábitos e estilo de vida para a recuperação o fígado é fundamental. Nestes casos a perda de peso e o acompanhamento de profissionais como o médico, nutricionista e educador físico é fundamental para o alcance dos objetivos e o sucesso da terapia.

Hepatite

A hepatite é uma consequência de um fígado gorduroso que não teve intervenção, este, quando permanece gorduroso sofre inflamação e pode contribuir para o desenvolvimento da esteato hepatite não alcoólica que pode evoluir até para a cirrose e câncer.

Conclusão

A frutose é um açúcar presente em alimentos como frutas, vegetais e mel. Quando consumido com moderação e associado à fibras como no caso das frutas, não representam impactos negativos a saúde. Diferente dos alimentos industrializados, processados e ultraprocessados que se utilizam da frutose devido ao seu sabor mais doce que a sacarose e muitas vezes esses alimentos são ricos em gorduras e baixos em fibras o que impacta de forma negativa na saúde, podendo contribuir para a obesidade e o surgimento de gorduras no fígado, que traz impactos negativos à saúde.

Evite os alimentos industrializados, consuma de forma esporádica ou quando os adquirir preste atenção nos rótulos dos alimentos para poder fazer escolhas mais saudáveis.

Referências Bibliográficas

Gomez Pinilla F et al. FDietary fructose as a model to explore the influence of peripheral metabolism on brain function and plasticity Molecular Basis of Desease. v. 1867, n. 166036, 2021.

Gonçalves et al. Intestinal fructose absorption: Modulation and relation to human diseases.Pharma Nutrition. v. 14, n. 100235, 2020.

Disponível: https://www.otempo.com.br/brasil/excesso-de-frutose-prejudica-o-figado-as-arterias-e-o-coracao-1.341541. Acesso 29/04/2021.

Disponível em: https://www.revistaencontro.com.br/canal/saude/2018/10/cuidado-com-o-excesso-de-frutose.html. Acesso 30/04/2021.

Rolar para cima